Wearable Devices - Sucesso ou Fracaso?

Escrito por Segunda-feira 16 Março 2015

Em homenagem ao recente burburinho sobre os wearable devices (dispositivos portáteis), hoje decidi explorar o tema aqui no nosso blog. "Wearable device" é um termo que até então era visto como algo futurista e longínquo mas que agora já podemos chamar de presente. Em boa verdade, têm existido algumas tentativas que nos fazem perceber que este "sonho" está bem próximo de se tornar real. Contudo, sabemos que os wearable devices estão cada vez mais perto de se tornarem parte das nossas vidas e os smartphones poderão adicionar-lhes valor.

Wearable Devices - Sucesso ou Fracaso?
Até agora, os wearable devices mais populares e mais falados são o Google Glass e o FitBit   e eu acho que posso afirmar claramente que este último tem tido mais sucesso do que o outro. Enquanto que o FitBit tem sido usado algumas vezes por um determinado grupo de pessoas, o mesmo não posso dizer do Google Glass até porque não acho que ninguém tenha a audácia para usar este tipo de dispositivo. Porque é que quase todas as pessoas têm ignorado um produto criado por uma empresa de confiança e que toda a gente conhece?

Eu acho que o Google deixou de lado o seu conceito de realismo  - parece que criaram um conceito futurístico esquecendo-se que os seus consumidores são humanos e não robôs. O termo "Glasshole " tornou-se popular por uma única razão - não é fácil de usar este dispositivo sem dar o ar de "Inspector Gadget", isto na melhor das hipóteses. 

 

Wearable Devices - Sucesso ou Fracaso?
O FitBit, por outro lado, é muito discreto, não é intrusivo e consegue combinar a tecnologia moderna com a praticabilidade dando, de uma forma simples, uma resposta a um problema que todos nós nos preocupamos: a saúde. O preço do produto é muito mais acessível e é razoável (pode variar entre os $60 enquanto que o Google Glass tem um custo de $1,500).

Baseando-nos nestes 2 exemplos, fiz uma breve análise sobre aquilo que acredito no que será um wearable device de sucesso ou fracassado consoante as novidades da indústria tecnológica. Incentivo ainda a que sejas tu próprio a fazer as tuas previsões consoante o que está acontecer no mundo wearable. 

 

O que define um wearable device de sucesso?

Existem um número de elementos importantes que determinam o sucesso de um wearable device, primeiro é a preocupação de determinar como é que os acessórios "wearable" são feitos para pessoas reais e para qualquer pessoa. O produto deve ser suficientemente  despercebido, elegante, atraente para que os seus consumidores o desejem exibir, sem parecerem que estão a protagonizar um filme de ficção - científica. 
 
Wearable Devices - Sucesso ou Fracaso?

O dispositivo também deve solucionar um problema que não pode ser resolvido pelos smartphones. Os Smartphones e as apps que vêm com eles são fantásticos e incluem um vasto número de capacidades, como tal, esta é uma opção que requer uma grande dose de imaginação e criatividade. 

Adicionalmente, é importante ter em conta a experiência do utilizador - esta foi em grande parte, uma das críticas ao Google Glass uma vez que este dispositivo apresentava imagens diretamente na visão dos utilizadores. Não é conveniente existir algo que perturbe ou importune a experiência do user - o dispositivo deve ser simples de usar e cumprir a sua missão. 

Finalmente, os wearable devices devem respeitar os direitos dos utilizadores. Existem muitas pessoas preocupadas com as questões relativamente à privacidade, como tal, um acessório que te segue para todo o lado e que têm o poder de te localizar em qualquer sítio pode levantar muitas preocupações. Parece que se trata da mesma situação relativamente aos smartphones mas em boa verdade, os wearable devices são ainda mais precisos na geolocalização uma vez que são mais pessoais. 

Resumindo, se o produto está feito para parecer "cool", responder a uma necessidade e respeitar a privacidade dos users, os utilizadores poderão certamente querer usá-lo.
Adicionalmente, se considerares um número de possibilidade que as apps podem oferecer a estes dispositivos, as hipóteses de ser bem sucedido multiplicam-se. 

Vejamos agora, o dispositivo mais falado nos últimos tempos - o Apple Watch - e perceber como é que outras indústrias estão a tentar integrar os wearable devices: 

Apple Watch

Wearable Devices - Sucesso ou Fracaso?
O relógio Apple  que foi recentemente lançado, comporta-se de forma semelhante aos restantes produtos Apple. Serve de fitness tracker, método de pagamento, plataforma para executar apps e também providencia várias funcionalidades de um smartphone (mensagem, calendário, mapa, etc). Ultrapassa o seu precedente (Google Glass) na medida em que é considerado mais "wearable"  - mais despercebido e possui um design elegante e sofisticado. Mas o mais importante é que não tens de parecer alguém tecnológico para usar este dispositivo o que é algo bastante importante para os users. 

A minha preocupação em relação ao relógio Apple é que o mesmo não serve nenhum propósito que o iPhone não tenha já. Este relógio não pretende ser um substituto do smartphone mas sim, um complemento que oferece funcionalidades únicas. O target premium para este acessório são os amantes do conceito Apple (uma vez que o relógio requer a conexão ao iPhone), o que significa que poderão ter a curiosidade em experimentar uma vez que o smartphone por ele mesmo poderá não ser suficiente operando de forma individual - Não tenho a certeza se o relógio Apple oferece algo como isto. Contudo, a sua reputação é forte e será interessante perceber se irá manter-se nos próximos tempos. 

Dispositivos no Sector da Medicina

Wearable devices na indústria médica  é algo realmente entusiasmante por razões óbvias - podem salvar vidas (isto é sem dúvida, dar resposta a um problema), ou, pelo menos, melhorar largamente a qualidade de vida! Alguns exemplos já lançados no mercado permitem obter dos doentes  informações sobre os seus sinais vitais, sangue, nível de açúcar, nível de dor, entre outras coisas.

Isto será claramente, um avançado enorme no mundo da medicina e promete posicionar a medicina num outro nível. Também se diferem em outras categorias na medida em que não amplificam as funcionalidades de geolocalização (são mais focados para localizar o user sem aumentar em real plano esta funcionalidade), o que reduz a preocupação relativamente às questões de privacidade. Os rastreadores de fitness talvez incluem esta categoria, mas eu tenho um pressentimento de que, brevemente, os smartphones irão incluir um sensor avançado para determinar as capacidades de localização, atuando da mesma maneira.

Este conceito vai fazer com que os users comecem a perceber e a reconhecer os benefícios que estes dispositivos podem trazer para a sociedade. 

Dispositivos para Crianças

O tipo de dispositivo mais popular produzido para as crianças está relacionado com o GPS tracking que dá a possibilidade aos pais de rastrear os filhos e encontrá-los mais facilmente. Contudo, estes dispositivos estão em fase de mudança, de momento, muitas crianças não são proprietárias de GPS tracking nos smartphones o que faz com que este produto possa ter mais procura. 

Outros dispositivos populares para as crianças incluem elementos de aprendizagem/ activity trackers, wearable baby monitors, e até itens que asseguram a segurança das crianças enquanto nadam. É um campo interessante que ainda tem muito para se explorar.

Wearable devices estão em todos os sectores e apresentam-se como grandes oportunidades para todos - para os consumidores por razões obvias, mas mais interessante ainda, para nós que estamos "à porta" desta indústria e que pode transformar-se em novas possibilidades de aplicações. Os fatores discutidos em cima vão certamente ter um papel importante e determinar o sucesso ou o fracasso de cada wearable device, mas o aspeto mais importante é perceber em que medida as apps podem enriquecer estes produtos e torná-los mais apetecíveis. Quase todos os dispositivos precisam de ser conectados, de certa forma, a alguma app e é aqui onde a GoodBarber tem a possibilidade de usar a sua criatividade para começar a explorar novos caminhos e dar resposta a esta tendência. 

Traduzido por Catarina Crespo 



Insira seu endereço de e-mail