O que têm as Apps a ver com a Indústria da Música

Escrito por Terça-feira 16 Setembro 2014

O que têm as Apps a ver com a Indústria da Música
Se te recordas do início dos anos 90, deverás lembrar-te quando a Sony decidiu revolucionar a forma como ouvíamos música e lançou o famoso WALKMAN amarelo, o aclamado Sports :)
Esta era a altura em que podias gravar uma cassete com várias músicas para oferecer à tua namorada e quando ouvir música ao mesmo tempo que estou a caminhar na rua, era um grande acontecimento!

Desde aí, já evoluímos para os CD's e depois para os downloads, e esta modificação deu-se tão rapidamente graças à democratização da internet. Atualmente, e de acordo com o relatório da IFPI (International Federation of Phonographic Industry), o número de assinantes em serviços de música pagos - o que inclui serviços como o Spotify e o Deezer - aumentou de 8 para 28 milhões, em apenas 3 anos.

Tal como o diretor de conteúdos do Spotify, Ken Parks, disse: "Ao contrário da distribuição física de produtos, podemos alcançar cada pessoa no planeta, pois basta que tenham um smartphone." (IFPI Digital Music Report 2014)

De acordo com esta informação, decidimos falar sobre como criar uma boa app de música. Vamos falar sobre o assunto considerando dois tipos de apps diferentes: apps de rádio e apps de músicos/bandas.

Vamos então começar!

Antes de mais, porquê devo eu criar uma app?

Se tens uma estação de rádio ou se és um músico ou tens uma banda, porquê deverias pensar em criar uma app para isso? Bem, é simples, basta pensar que hoje em dia as pessoas usam os seus telefones a todo momento e o que pode ser melhor do que entregares o teu cartão de visita em formato app!?

Além de te apresentares e dares acesso à tua música, a vantagem que uma app pode trazer é a forma como promove esta experiência. Com uma aplicação, podes oferecer conteúdo exclusivo e a tua presença na web (redes sociais, website, leitores de música, streaming, informação pessoal, contactos) podem ser encontrados num único sítio.
Graças ao fato de que o conteúdo é escolhido por ti, bem como personalizado, o foco dos teus utilizadores já não estarão sujeitos às distrações de navegação dos websites, debaixo da ameaça de um sem número de hiperligações.

Apps de Rádio - Quais são as possibilidades?

Ouvir rádio, contra todas as previsões, sobreviveu à sombra de ameaças como a de "VIdeo killed the radio star " e apesar de existir há centenas de anos, as pessoas ainda ouvem rádio com frequência, sendo ainda um tema comum discutir-se qual a nossa rádio favorita e porque prefiro esta ao invés daquela. Há portanto, várias formas de criares uma app dinâmica.

Mas para tornar a descrição mais clara, tomei o exemplo de uma de nossos GoodBarbers, a app Pausa Musicale. Além da possíbilidade de ouvirmos música, esta app permite aos utilizadores consultarem os últimos eventos na secção Agenda. Eles organizam diversas competições e dedicam toda uma secção apenas para divulgar estes concursos. Até mesmo se fores novo na app e te sentires um pouco perdido,na secção Popular, vais encontrar os artigos mais lidos. Este tipo de função não só serve aos teus utilizadores, mas a ti também, sendo uma forte ferramenta para entenderes o tipo de conteúdo que mais interessa à tua audiência.

Além de tudo isto, podes usar as notificações push para avisares os teus ouvintes quando aquela música nova estiver no ar, ou por exemplo a secção Live+ que torna possível que a tua audiência partilhe as músicas com os seus amigos nas redes sociais.

Como posso usar uma app de música para catalisar os meus projetos?

Uma app é uma ferramenta para promoveres a tua música e também comunicar com outros artistas e pessoas interessadas na indústria.

A app Soltanto mostra-nos que é possível associares diferentes tipos de secções, de forma a criares uma aplicação completa. Aqui os utilizadores poderão desde ouvir as músicas no Soundcloud, a consultar as últimas datas dos concertos, a ver as fotos do músico e muito mais.
Mas o ponto mais forte de tudo isto é que sendo Soltanto um artista de rua, uma das funções que acrescentou sucesso, foram as notificações push target, ao utilizar a opção de geolocalização tornou a comunicação muito mais efetiva.

Podes também motivar os teus utilizadores a darem um feedback, através da secção de envio, ou deixando comentários nos artigos ou mesmo em algumas secções de conectores.

Os tempos estão a "a-changin" (mudar)?

Enquanto o conceito dos wearables ainda está a encontrar a sua própria identidade e a ganhar popularidade, os dispositivos mais usados no nosso dia a dia, é sem dúvida o telemóvel. E ainda que eu seja fascinada pelo revolucionário walkman amarelo dos anos 90, tenho de admitir que um dispositivo menor com uma performance superior e uma capacidade imensa, é sem dúvida a minha escolha final.

Atualmente as pessoas ainda ouvem música e acredito que o farão sempre, mas é bastante evidente que a forma como o fazemos está a mudar. Então a melhor opção para nos mantermos atualizados, é comunicar o nosso negócio utilizando o formato que as pessoas usam atualmente. É simplesmente aprender a falar a linguagem que a tua audiência está habituada a usar para se comunicar.

Um bom exemplo para isto é a marca Beats, que fabrica auscultadores e colunas de som, debaixo da assinatura do rapper e produtor de hiphop Dr. Dre. Eles lançaram um serviço online de música em streaming este ano e o Tyler Hayes comenta sobre: "A indústria da música já não se trata de álbuns--trata-se de distribuição via app." (fonte: FastCoLabs).

Então, penso que deixei convosco alguns bons motivos para considerarem a criação de uma app para o vosso negócio de música. Agora gostaria de terminar com esta citação que dá que pensar, do Bobby Owsinski:

"O que vemos agora é um negócio em mutação, à medida que o streaming começa a tornar-se o método de consumo de escolha dos ouvintes. Parece que ainda ontem estávamos a atravessar a primeira revolução da música digital; mantenham-se atentos porque estamos a vivê-la novamente." (fonte: Forbes)

Tens alguns pensamento a partilhar sobre este assunto? Deixa-nos um comentário!



Insira seu endereço de e-mail